segunda-feira, 22 de abril de 2019

XIV aniversário macmel e III encontro os amigos das abelhas

Formação de criação de rainhas e produção de geleia real com Gilles Fert dia 27 de Abril. Pode ver aqui o programa e inscriçãohttp://formacaoapicultura.blogspot.com/2019/03/xiv-aniversario-macmel-e-iii-encontro.html

Formação inseminação artificial de rainhas dia 28 e 29 de Abril. Pode ver aqui o programa e inscrição http://formacaoapicultura.blogspot.com/2019/03/inseminacao-artificial-rainhas-28-e-29.html
Formação total de apicultura certificada dias22, 23, 24, 25, 26 e 27 de Abril de 2019 pode ver aqui o programa  e inscriçãohttp://formacaoapicultura.blogspot.com/2018/09/formacao-total-2019.html

XIV aniversário macmel e III encontro os amigos das abelhas carregue na imagem

XIV aniversário.jpg

quarta-feira, 3 de abril de 2019

A Vicort é patrocinador Platinum da 11ª EXPOFLORESTAL

A Vicort, empresa líder no setor da maquinaria florestal em Portugal, é patrocinador Platinum da 11ª EXPOFLORESTAL.
A Vicort, reconhecida no mercado pelos harvesters florestais de rastos, processadores de corte, reboques florestais e equipamentos de manutenção e limpeza florestal, associa-se assim ao maior evento ibérico da fileira da floresta. Quando os líderes se juntam, acontecem bons negócios.
Agradecemos a confiança e desejamos que a presença na 11ª EXPOLFORESTAL seja um enorme sucesso.
PATROCINE ESTE EVENTO

quarta-feira, 20 de março de 2019

» Seminário "Floresta, Economia e Cadastro"


- 29 de março . BRAGA - FEIRA AGRO 2019

29 MARÇO - BRAGA - FEIRA AGRO

A FORESTIS tem o prazer de o convidar a participar no seminário "Floresta, Economia e Cadastro", que se realiza no dia 29 de março, às 9h00, no Pequeno Auditório do ALTICE FORUM BRAGA, durante a Feira AGRO 2019.
Um dos diplomas aprovados no âmbito da Reforma da Floresta foi o Projeto Piloto do Cadastro que se encontra em vigor, desde novembro de 2017, em mais de dez municípios das regiões Norte e Centro. Este permite o registo dos prédios rústicos e mistos de forma gratuita para, assim, ser realizada a identificação dos seus proprietários. O seminário pretende desta forma abordar a importância do cadastro na economia e ordenamento florestal, bem como colocar em perspetiva os resultados do projeto piloto que decorreu em 10 municípios do país.
PROGRAMA 
provisório
9:00   Receção Participantes
9:30   Sessão de Abertura 

10:15 Intervenção de Abertura
           Cadastro Simplificado: Experiência do Projeto BUPi
         
           Anabela Pedroso, Secretária de Estado da Justiça

10:45  Floresta, Economia e Cadastro 
Moderador: José Gaspar Vice-presidente da Forestis
         
           Miguel Alves, Presidente da Câmara Municipal de Caminha
           Carla Duarte, Associação Florestal do Concelho de Góis
           Sofia Carvalho, Instituto dos Registos e Notariado (IRN)
           Representante da Indústria Florestal*

12:15   Debate

12:45   Encerramento

* a indicar


quarta-feira, 20 de fevereiro de 2019

3ª jornada de Inverno Cabeço Santo

por Paulo Domingues
A de 9 de Fevereiro foi mais uma jornada bastante participada de voluntários muito dedicados, que se entregaram a diferentes trabalhos: 10 voluntários à plantação de árvores, 3 à selecção de rebentos de carvalho, sobreiro e outras árvores e 2 à remoção de rebentação de eucalipto. Tudo em torno do Vale de Barrocas, que já vai ficando conhecido por todo o mundo!...
Havia um conjunto muito diversificado de árvores para plantar: carvalhos, sobreiros, castanheiros, murtas, lentiscos, adernos e medronheiros. Três equipas avançaram já para oeste da depressão do Vale de Barrocas, duas nas cotas mais elevadas da área e uma um pouco mais abaixo. As primeiras não tiveram tarefa fácil, porque esta área é mais pedregosa do que as de jornadas anteriores, obrigando a uma busca cuidada dos locais de plantação e às vezes a uma operação (ainda mais) exigente de preparação desses locais.
9
Ainda antes da saída da base da Quinta das Tílias, a caixa da carrinha de apoio repleta de plantas, fertilizantes e equipamentos (PV)

DSC_3966
Os voluntários tiverem que caminhar umas centenas de metros até ao local de plantação

l2
Chegada e apresentação do desafio (LM)

l7
Tabuleiro de lentiscos (LM)

DSC_3976
Equipa de plantação da cota mais baixa

DSC_3978
Elemento "picareta" de uma das equipas de trabalho na área de cota mais elevada

DSC_3980
Completando a plantação de um sobreiro

DSC_3982
A contemplação também faz parte da jornada

DSC_3984
Cavando o céu ou cavando a terra?

DSC_3992
Contemplando o trabalho realizado

l3
Balde de plantas (LM)

l6
Aderno plantado (LM)

Na área de cota mais elevada dominam, entre as plantas espontâneas presentes no local, as urzes vermelhas (Erica australis), que se encontram agora quase a abrir as suas flores. Mais abaixo e a nascente do vale são mais frequentes os tojos. As carquejas e as urzes de porte baixo aparecem bem distribuídas por todo o lado. A urze-vermelha é uma urze de porte elevado, de facto, um pequeno arbusto, tal como a urze-branca, que também ocorre no Vale de Barrocas, embora de forma mais pontual.
DSC_4023
Urze vermelha com flores prontas a abrir

DSC_4019
Insecto apressado!

l14
Cogumelos que parecem sair das pedras (LM)

A equipa de selecção de rebentos desceu a uma cota ainda mais baixa da encosta, para trabalhar onde os rebentos são mais abundantes. A equipa dos rebentos de eucalipto, pelo contrário, andou pelas cotas mais elevadas, com boas vistas sobre o vale do Ribeiro de Belazaima, tal como as equipas de plantação.
DSC_4009
Vista da área de intervenção até ao Feridouro

DSC_3999
Vista da área já plantada com o Cabeço Santo em fundo

DSC_4026
Os trabalhos continuam, entre urzes e carquejas

DSC_4008
Equipa de corte de rebentos de eucalipto, captada ao longe

O dia estava nublado e fresco, sendo as condições para tirar fotos melhores do que em jornadas anteriores.
Depois de um almoço em forma de piquenique, o regresso ao trabalho fez-se sem demora para não deixar arrefecer demasiado os corpos. E durante a tarde as equipas continuaram a progredir para oeste. No entanto, sobretudo para as equipas que trabalhavam acima do caminho onde se encontrava a carrinha de apoio, a deslocação dos materiais (fertilizantes e plantas) encosta acima começou a cobrar o seu tributo e algumas pernas começaram a fraquejar.
l11
O conforto não foi o mais evidente do almoço de campo, mas não deixou de se apreciar

l12
À falta de local mais adequado, mesmo as pedras serviram de apoio para um pequeno descanso

Para compensar os esforços da tarde, os trabalhos concluíram-se com um lanche ainda em pleno campo, já começava a escurecer. Tinha sido um dia longo e muito produtivo! Só teve uma nota negativa a registar: três voluntários inscritos não apareceram nem deram qualquer justificação. Aproveita-se a oportunidade para recordar que, na Sexta à noite anterior a uma jornada já o seguro foi activado, já a alimentação foi preparada, já as boleias foram coordenadas e, no caso de ter havido muitos voluntários inscritos, pode já ter acontecido que alguns tenham sido convidados a adiar a sua participação, pelo que uma falta significa sempre um investimento de esforço que não tem aproveitamento. Claro, são compreensíveis motivos de força maior, mas não motivos menores e sem a gentileza de uma informação. Felizmente é raro haver três faltas: a maior parte dos voluntários tem demonstrado grande responsabilidade, mas claro, há excepções, como aconteceu nesta jornada.
DSC_4027
Voluntária em momento de descontracção, depois de se ter esgotado o stock de materiais

l8
Para o fim da tarde, subir e descer a encosta já não era tarefa fácil (LM)

DSC_4029
Equipa do dia

Na próxima continuaremos pelo Vale de Barrocas, mas, nas cotas mais elevadas do monte, tudo indica que as condições não serão tão difíceis como nesta jornada, porque houve arranque de tocos e o solo está mais “fofo”.
Obrigado aos esforçados voluntários desta jornada. E à Liliana (LM) e ao Paulo Vinagre (PV) pelas suas fotos.
Paulo Domingues

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

RECRUTAMENTO


A Gestiverde empresa de consultadoria agro-florestal admite técnico/a com formação superior: 
- Licenciatura ou mestrado em Agronomia ou equivalente 
- Experiência mínima de um ano, preferencialmente no domínio dos apoios ao sector agrícola (Pedido único e apoios ao investimento) 
- Disponibilidade imediata 
- Forte empenho, motivação e dinamismo
Oferece-se:
- Remuneração compatível com a função e experiência
- Integração em equipa
- Formação contínua
Enviar candidatura para jla@gestiverde.pt

quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

Oferta de Emprego: Coordenador Executivo


A ATNatureza está a contratar um novo coordenador executivo!
Funções/Responsabilidades
1) Gestão e governança da organização – o coordenador irá executar todas as ações relacionadas com a gestão operacional da organização, cumprindo o programa estratégico plurianual do Conselho Diretivo da ATNatureza. Estas tarefas incluem o planeamento de atividades, a sua execução e acompanhamento permanente, a supervisão da equipa, a elaboração de relatórios de execução e a articulação com a Direcção. O Coordenador será responsável pela elaboração de cada plano anual de atividades e respetivo relatório final.
2) Gestão administrativa e financeira – O Coordenador irá supervisionar todos os assuntos administrativos e financeiros, baseando-se no plano anual e orçamento aprovados. Fará o acompanhamento da execução orçamental da associação, através da ferramenta de avaliação/execução de cash-flow, coordenando a contabilidade, informando e apoiando a Direção nas decisões administrativas e financeiras. Irá definir e implementar os sistemas de medidas e controlo que permitam realizar o seguimento dos objetivos-chave, realização de relatórios e tomada de medidas corretivas quando necessário.
3) Fundraising e Sustentabilidade – O Coordenador promoverá os necessários contactos e iniciativas para a angariação de financiamentos, nomeadamente: donativos e doações, prestação de serviços, subsídios, vendas, pagamento de quotas.
4) Gestão Operacional do projeto Faia Brava e EPNs – O Coordenador será o responsável pela gestão operacional dos Espaços para a Natureza, através de implementação dos planos de gestão de cada uma das áreas.
5) Projetos de Conservação da Natureza – Com o apoio da Direção, o Coordenador irá apoiar o departamento de projetos no desenho e execução dos mesmos.
6) Recursos Humanos – O Coordenador ficará responsável pela gestão da equipa da ATNatureza, supervisionando e apoiando a execução das suas agendas de trabalho, promovendo a formação técnico-profissional, assegurando um modelo anual de avaliação de desempenho. Deverá acompanhar as equipas de trabalho para verificar que se estão a cumprir os objetivos definidos.
7) Comunicação e relações públicas — O Coordenador assegurará a representação da organização e garantirá que a missão e o projecto Faia Brava e EPNs sejam apresentados aos sócios, à sociedade e aos principais “stakeholders”.
8) Planeamento estratégico – O Coordenador irá elaborar em 2019 o plano estratégico de gestão da Faia Brava e EPNs para 2020-2030.
Perfil
Procuramos alguém com as seguintes características:
- Gosto pela conservação da natureza: estamos à procura de alguém enérgico, positivo e inspirador que tenha paixão ou gosto pelo tema da conservação da natureza e proteção do ambiente, com capacidade para encontrar soluções em matéria de conservação da natureza.
- Formação técnica: tenha grau académico, preferencialmente na área da Ecologia Biologia/Recursos Naturais/Floresta/Ambiente.
- Experiência profissional: tenha suficiente conhecimento, afinidade e experiência na temática da conservação da natureza, gestão de espaços rurais/naturais, gestão de organizações e gestão de recursos humanos.
- Conhecimentos de gestão financeira: tenha conhecimentos teórico-práticos de gestão administrativa e financeira.
- Comunicação escrita: tenha gosto, capacidade e facilidade de comunicação escrita, nomeadamente facilidade de redação de cartas, atas, relatórios e projetos.
- Relações públicas: tenha gosto, capacidade e facilidade de comunicar escrita e oralmente, nomeadamente capacidade de representar a Organização, contactar pessoas e entidades nacionais e internacionais, promover projetos e conduzir reuniões.
- Domínio de línguas: fale e escreva fluentemente em português e inglês.
Condições
- Cargo a tempo inteiro
- Contrato de 2 anos
- Base salarial (ilíquido): 1500 – 1700 Euros /mês, dependendo de experiência e CV.
- Loval de trabalho – sede da ATNatureza - Figueira de Castelo Rodrigo (distrito de Guarda)
Procedimento
Envie a sua candidatura em português, inglês, ou espanhol, por e-mail, com uma breve apresentação (máximo 1 pág.) com CV.
A candidatura deve ser enviada ao cuidado de Sílvia Lorga (silvia.lorga@atnatureza) até 15 de fevereiro.
Webp.net compress image

sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

IBEROPRAGAS - Salão profissional

De 22 a 24 de Março, a FIL-Lisboa recebe mais uma edição da IBEROPRAGAS - Salão profissional de controlo de pragas (agrícolas e urbanas). Este evento irá decorrer em simultâneo com a FRUTITEC, a EXPOJARDIM e a URBAN GARDEN.
Saiba mais informações aqui: http://exposalao.pt/displayFair/iberopragas-fil
Faça o seu pedido de cotação para expor através de +351 918 703 008 ou sofia.mateus@exposalao.pt

quarta-feira, 7 de novembro de 2018

Formação Financiada

Decorrerá em Rebelhos formação financiada, destinada a adultos desempregados/as, beneficiários de RSI e adultos não detentores de competências básicas, com a saída profissional de Apicultura.
A carga horária total é de 275H, (200H de formação transversal + 75H de formação tecnológica de apicultura). Formação com Bolsa + subsídio de refeição.
Vamos dinamizar a nossa aldeia.
Não fique em casa, faça a sua inscrição e venha aumentar os seus conhecimentos e partilhar as suas experiências.

segunda-feira, 29 de outubro de 2018

Gestão da Floresta e Conservação da Natureza

No âmbito do ciclo de seminários: Gestão da Floresta e Conservação da Natureza, no próximo dia 30 de outubro irá ocorrer o seminário "Lobo ibérico, a importância da sua conservação" na Sala de Atos com a presença do professor Francisco Petrucci-Fonseca às 17h.


sexta-feira, 26 de outubro de 2018

Atualizar cadastro de terrenos dá 10 anos de isenção de IMI


O governo vai isentar de IMI os proprietários que atualizem os cadastros dos terrenos. A seguir Fisco vai fazer cobranças da limpeza dos terrenos O Conselho de Ministros aprovou esta quinta-feira uma medida que isenta por um período de 10 anos o pagamento do Imposto Municipal sobre os Imóveis (IMI) dos proprietários de terrenos não cadastrados que regularizem esta situação. Comtinua aqui


sábado, 28 de julho de 2018

Quercus chama a atenção para a presença de Espécies exóticas invasoras em Portugal, e para a Vespa-asiática em particular

28 de Julho - Dia Nacional da Conservação da Natureza


A Natureza envolve uma diversidade de ecossistemas onde o Homem está inserido, sendo por isso nos dias de a hoje a sua conservação entendida não apenas pelo seu valor Natural, mas principalmente pela função “mãe” de equilíbrio e estabilidade da Terra. A elevação do Homem como espécie dominante da Terra, levou-o a esquecer-se da dependência, direta ou indireta, dos valores e serviços oferecidos pela Natureza.. Entre estes, é importante realçar a relevância da biodiversidade, tanto para a estabilidade dos ecossistemas como para a vida quotidiana do Homem. No entanto, a biodiversidade está a ser ameaçada um pouco por todo o Planeta principalmente devido à ação e arrogância do Homem para com a Natureza.
O preocupante contínuo decréscimo da biodiversidade um pouco por todo o Mundo, tem-se apresentado como uma das maiores preocupações em termos de Conservação da Natureza. Portugal não foge à exceção e apresenta sérias ameaças à biodiversidade existentes no país, destacando-se a destruição e degradação de habitats, a poluição, as alterações climáticas, os incêndios e a proliferação de espécies invasoras.
A este nível, a Vespa Velutina, mais conhecida como Vespa asiática, é uma das espécies invasoras com mais crescimento em termos de população nos últimos anos e em termos de expansão no território, apresentando elevados impactos, tanto ao nível da biodiversidade como da agricultura. No ano de 2017 foram detetados aproximadamente 4500 ninhos em território nacional, mais do dobro do ano anterior, sendo que nos últimos 3 anos, em soma, foram detetados mais de 10 mil ninhos por todo o país. Referindo-se estes valores apenas aos ninhos detetados, a realidade pode ser bem mais preocupante, podendo ser três a quatro vezes superior ao conhecido no momento.
O crescimento galopante desta espécie invasora demonstra que as medidas previstas no Plano de Ação para a Vigilância e Controlo da Vespa Velutina são insuficientes ou mal aplicadas. A Quercus, a título de exemplo, tem conhecimento que existem Serviços da Proteção Civil que cobram à população para procederem à remoção de ninhos de Vespa Velutina.. Apesar de estes casos não representarem a maioria das situações, estes comportamentos por parte da Proteção Civil levam a que a população opte por tentar remover por si os ninhos, sem consulta de especialistas, arriscando a sua própria saúde e uma ineficiente remoção, ou até mesmo que a população deixe de relatar a existência de ninhos avistados

quarta-feira, 11 de julho de 2018

ENGENHEIRO(A) AGRÓNOMO, FLORESTAL OU DO AMBIENTE (M/F)


Procuramos um(a) Engenheiro(a) fortemente motivado(a) para fazer parte da equipa da ANEFA, em Lisboa, com boa apresentação, criatividade e que acredite no desenvolvimento do seu País.
Principais atividades a desempenhar:
• Auxiliar no desenvolvimento e implementação das ações de marketing e comunicação;
• Proceder à dinamização do website e das redes sociais;
• Apoio aos eventos organizados pela ANEFA;
• Apoio aos Associados;
• Apoio ao funcionamento da Associação.
Procuramos o seguinte perfil:
• Formação mínima ao nível de Licenciatura nas áreas de Ambiente, Agrícola ou Florestal;
• Disponibilidade para trabalhar durante a semana e aos fins-de-semana, sempre que necessário;
• Carta de condução;
• Bons conhecimentos na óptica do utilizador de Word, Excel, Power Point, Plataformas de gestão de e-mails, sites, etc.;
• Disponibilidade para deslocações;
• Fluência da língua inglesa;
• Dinâmico, proactivo, comercial, sentido de responsabilidade e com boa capacidade de relacionamento;
• Boa capacidade de planeamento e organização;
• Boa capacidade de comunicação (oral e escrita);
• Disponibilidade imediata;
• Ser elegível para estágio profissional do IEFP.
Oferecemos:
• Realização de estágio com possibilidade de vir a integrar os quadros da Associação, em condições a combinar, em função da experiência do candidato(a).
Enviar currículo para o e-mail: emprego.anefa@gmail.com até ao dia 29 de Julho de 2018.

quarta-feira, 4 de julho de 2018

1ª jornada de Verão



por Paulo Domingues
Depois de uma Primavera fresca e húmida, e de uma chegada do Verão na mesma “onda”, o dia 23 de Junho anunciava-se como um dia quente (exactamente o contrário do que tínhamos aspirado!), e não falhou a promessa: uma máxima de 33ºC em Belazaima, para fazer suar os voluntários. Iriam aguentar?
Com 13 voluntários em campo, a equipa dividiu-se durante a manhã entre corte de rebentos de eucalipto e arranque de mimosas na zona de Vale de Barrocas/Chão do Linho. No Vale de Barrocas as toiças já vão bem a caminho de “desistirem” de rebentar, fruto do corte repetido a que têm sido sujeitas. A norte do ribeiro (Chão do Linho) ainda se encontra alguma germinação de mimosa, sobretudo na área ardida em 2017, mas, salvo excepções, e fruto da presença continuada dos voluntários, já se encontra bastante controlada. Tratou-se assim de percorrer a área, detectar as ocorrências e agir.
DSC_3242
Área para procurar mimosas.

DSC_3244
Voluntária tenta encontrar mimosas. Onde estarão? Procure na foto!

DSC_3245
Os carvalhos do Chão do Linho

DSC_3247
Na encosta do lado sul do ribeiro, os rebentos de eucaliptos alvo dos machados dos voluntários

DSC_3248
Andamos muito atentos a fungos e cogumelos!

DSC_3249
Um carvalho plantado

DSC_3251
Um carvalho nascido em plena toiça de eucalipto!

Já a manhã ia avançada, a equipa chegou a uma mancha onde as mimosas ainda se encontram com grande densidade. Aqui a estratégia foi arrancar as que podiam ser arrancadas e deixar as restantes para posterior intervenção. Finalmente, já com o calor do meio dia a apertar, arrancaram-se mimosas na pequena mancha de carvalhal de Chão do Linho, aqui invariavelmente plantas germinadas por acção do fogo de 2017. Devido ao ensombramento que aqui têm, estas plantas cresceram pouco, mas também por isso se arrancam facilmente. As águas frescas e cristalinas do ribeiro a correrem logo ali eram um grande atractivo, e houve voluntários que até no leito do ribeiro vislumbravam mimosas (ou seria miragem?!). Em todo o caso, a verdade é que uma voluntária acabou na água, quer dizer, como todo o corpo na água!
DSC_3255
Numa zona de mimosas mais densas

DSC_3258
Uma vista geral da área em intervenção

IMG_20180623_095752
Outra perspectiva dos carvalhos do Chão do Linho (L)

Mas, incidentes aquáticos à parte, a verdade é que o ambiente ribeirinho estava animado: as temperaturas elevadas proporcionaram o avistamento de libelinhas várias, pelo menos uma delas mais raramente avistada, e outros seres pouco observados. E também se soube, por via de uns investigadores que por aqui andavam, que o ribeiro abriga mais espécies anfíbias do que suspeitávamos… Mas detalhes ficarão para momento oportuno!
DSC_3260
Uma libelinha comum (gaiteiro-azul), mas que vale sempre a pena voltar a observar!

DSC_3262
Gaiteiro-azul (fêmea) em busca de parceiro (supõe-se...)

DSC_3265
Uma observação muito mais rara (libelinha vermelha pequena?)

DSC_3274
Uma vespa invulgar, em batón-azul

DSC_3277
Erica cinerea, uma das urzes de floração prolongada

DSC_3278
Erica ciliaris, uma urze que está em flor todo o Verão

DSC_3280
Uma borboleta de ocorrência habitual, mas sempre bem-aparecida (Melitaea phoebe?)

DSC_3282
Estamos realmente muito atentos aos decompositores...

DSC_3284
E cá está mais um!

DSC_3286
Não conseguimos perceber muito bem o que se passou aqui: se alguém conseguir explicar...

Como estava muito calor e a refeição era de tacho, decidiu-se voltar à base da Quinta das Tílias para o almoço. A comida estava muito boa e as cozinheiras foram também voluntárias (uma delas aparece na foto...). Agradecemos as suas contribuições.
DSC_3270
O grupo tirou a foto a seguir ao almoço. Mas um voluntário tinha adormecido e não ficou nela!

À tarde, a equipa deslocou-se mais para montante, para continuar a arrancar mimosas no corredor ribeirinho da Mata da Altri Florestal, partindo do ponto onde se tinha terminado na última jornada de Primavera. Mas não sem antes fazer uma sesta debaixo dos carvalhos do Chão do Linho, desta vez mais estendida do que tem acontecido até aqui, dadas as temperaturas elevadas que se faziam sentir. E que bem que soube!
IMG_20180623_152436
O regenerador relaxamento, a seguir ao almoço (L)

IMG_20180623_100209
O ribeiro, numa perspectiva da Liliana (L)

IMG_20180623_165038
Os trabalhos da tarde decorreram entre mimosas (L)

Depois, e à medida que ia refrescando, os trabalhos foram decorrendo com mais vivacidade, embora o terreno difícil também fosse um desafio. Mas já podíamos confirmar: todos os voluntários sobreviveram sem baixas a este dia quente!
Obrigado a todos os voluntários e à Liliana (L) pelas suas fotos. Ainda há duas jornadas antes das férias voluntárias. Depois só reiniciamos em Setembro. Até breve!
Paulo Domingues